HIV e AIDS: vírus, sintomas, prevenção e testes

Qualquer pessoa está sujeita à infecção pelo HIV. É fundamental conhecer bem o assunto para se prevenir e diminuir as chances de transmitir a doença. O HIV é o vírus causador da AIDS e ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. O vírus é uma doença sexualmente transmissível (DST) e também pode ser contraída pelo contato com sangue infectado ou de forma vertical, no caso de mulheres soropositivas grávidas.


HIV x AIDS


HIV não é AIDS. Todas as pessoas que tem AIDS tem HIV, nem todos que tem HIV tem AIDS. De forma clara, a AIDS só acontece quando o infectado pelo HIV tem seu sistema imunológico afetado pelo vírus, fazendo com que a pessoa fique sensível a infecções de outras doenças.


Fique calmo, não é tão simples alguém com HIV ter AIDS. A infecção evolui quando a pessoa não é tratada e sua imunidade diminui ao longo do tempo. Por isso, quando alguém é diagnosticado como soropositivo, é fundamental dar início ao tratamento antirretroviral, para impedir o avanço da doença para AIDS.


HIV


O HIV é transmitido geralmente por relações sexuais sem o uso de camisinha ou quando dependentes químicos compartilham seringas e agulhas. A transmissão vertical é quando uma mulher soropositivo grávida passa o vírus para o bebê na gestação ou no momento do parto. É possível também transmitir o HIV na amamentação. Em todos esses casos é possível prevenir com o tratamento correto.

Sintomas


Você sabia que pode ser soropositivo e não manifestar sintomas ou desenvolver a AIDS? Existe também o período de janela imunológica, que é entre o contágio e o início de produção dos anticorpos pelo organismo. Durante esse período, não há detecção de positividade nos testes, porque os anticorpos ainda não se manifestaram contra o vírus. Essa janela pode variar de 30 a 60 dias. Cuidado! Embora durante o período a pessoa não seja identificada como HIV positivo, ela já é transmissora.


A maioria das pessoas soropositivas desenvolvem sintomas parecidos com os de um resfriado, um ou dois meses após a infecção do HIV, entre eles: febre, mal-estar, calafrio, diarreia, tosse, dores de cabeça, de garganta e musculares. Esta é a fase primária, ela pode durar por algumas semanas e é bem perigosa, uma vez que a infecção pode passar despercebida. Após o período, os sintomas podem desaparecer por vários anos antes do HIV ser diagnosticado.


Prevenção


Além de usar camisinha e não compartilhar agulhas e seringas, há outros métodos. Se você se expor ao risco vá a um hospital o quanto antes. Eles irão te dar remédios de profilaxia de infecção pelo HIV ou outras DSTs. As chances de não se desenvolver essas doenças quando a profilaxia é feita poucas horas após o ato é muito maior.


Profilaxias


As profilaxias são formas de prevenção contra a transmissão do HIV. Atualmente há dois tipos de profilaxia: a PEP e a PREP.

A Profilaxia Pós-exposição (PEP) é um método de prevenção indicada para pessoas que se expuseram ao risco. O tratamento dura 28 dias e pode evitar a infecção por HIV em até 72 horas. 


A Profilaxia Pré-exposição (PREP) é uma estratégia de prevenção que envolve a utilização de um medicamento antirretroviral, por pessoas não infectadas, para reduzir o risco de aquisição do HIV. O medicamento age no corpo bloqueando o ciclo da multiplicação do vírus.


Vale lembrar que elas não substituem o uso da camisinha, pois as profilaxias previnem o HIV e não as demais DSTs, como Sífilis, Gonorreia e HPV.


Testes de HIV


Para diagnosticar e prevenir doenças sexualmente transmissíveis existem, no Brasil, dois tipos de testes: os exames laboratoriais e os testes rápidos. Os testes rápidos podem ser realizados com a coleta de uma gota de sangue e fornecem o resultado em 30 minutos.


O teste de HIV deve ser feito com regularidade. Recomenda-se que seja feito a cada seis meses ou quando passar por uma situação de risco. É importante que você saiba se tem HIV para buscar tratamento no tempo certo, possibilitando uma vida com mais qualidade.


Previna-se e sempre que se expor ao risco procure um médico e faça o teste!